Que tal ajudarmos a sociedade a ficar livre da corrupção?!

Observatório Social de Irati desenvolve trabalhos na área de educação

27 de julho de 2015 18:36

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | | | | | |

Quando falamos em corrupção logo pensamos em política! E não é para menos. Ao assistirmos o noticiário, vemos uma série de situações que envergonham o nosso país. Quem nunca ouviu falar em ‘Mensalão’ ou Operação Lava-Jato? Porém, muitas vezes não percebemos que alguns atos do cotidiano também não são certos. Alguns exemplos são: furar a fila, colar na prova, falsificar assinaturas dos pais, entre muitos outros. Nesta edição, o projeto Folha na Escola vai abordar esse assunto, que é importante para a formação de cidadãos responsáveis com a sociedade.

Irati conta com o Observatório Social, que além do trabalho que realiza junto a entidades públicas para ajudar a garantir a lisura nos processos, também desenvolve um programa ‘Semeando a Cidadania Fiscal’, o qual tem como foco a educação. Esta iniciativa faz parte da Rede Observatórios Sociais do Brasil (OBS).

Segundo a coordenadora e advogada do Observatório Social de Irati, Sonia Gerchevski, no ano passado, procuraram o Núcleo Regional de Irati, que colabora em um concurso de redação com o tema ‘Cada brasileiro pode ser uma área livre de corrupção!’. “Participaram os estudantes do 8º e 9º anos do Colégio Duque de Caxias. Os trabalhos premiados foram enviados para o Observatório Social do Brasil e concorreram nacionalmente”, explica ela.

Sonia explica que o tema do concurso é para estimular professores a trabalharem em sala de aula sobre pequenas corrupções, que acontecem na sociedade. “Através de atos do cotidiano, que sem perceber, se desrespeita o próximo e coloca o interesse pessoal de encontro ao interesse coletivo. Essas pequenas corrupções são desenvolvidas de forma clara com os alunos, para que eles entendam que elas podem virar grandes corrupções, se essa cultura for mantida”, relata a coordenadora do Observatório Social de Irati.

No mês passado, foi realizado outro concurso. Desta vez foi de desenho, com alunos dos 1º e 5º anos, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação. Palestras foram realizadas por voluntários do Observatório Social em três escolas do município, sendo uma da região central da cidade, uma localizada em bairro e outra da área rural: Escola Municipal Esperança Carignano Chuilki, Escola Municipal Irmã Helena Olek e Escola Municipal São Valdomiro. Ao total, 800 alunos participaram.

Os trabalhos premiados serão divulgados em agosto e vão concorrer a nível nacional e a premiações pela Controladoria Geral da União (CGU. “Os desenhos nos surpreenderam. E o mais importante: essas crianças de 5 a 10 anos de idade assimilaram a mensagem, ficando claro que por meio da educação para a cidadania é possível mudar essa cultura das pequenas corrupções”, diz Sonia.

Exemplos de corrupções cotidianas:

Não dar nota fiscal

Não declarar Imposto de Renda

Tentar subornar o guarda para evitar multas

Falsificar documentos

Dar/aceitar troco errado

Roubar TV a cabo

Furar fila

Comprar produtos falsificados

Falsificar assinaturas

Vender o voto

Por Kelly Ramos
Via Folha de Irati

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br