Nota de apoio à Controladoria Geral da União – CGU

Há rumores sobre a perda da condição de ministério pela CGU, que passaria a ser uma secretaria, auditando ministérios hierarquicamente superiores

25 de setembro de 2015 18:41

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | | | | |

As organizações, movimentos e redes da sociedade civil que atuam no combate à corrupção e impunidade e para o fortalecimento das políticas públicas de transparência e acesso à informação receberam com preocupação a nota publicada pela Associação Nacional dos Auditores Federais de Controle Interno (ANAFIC) que relata a crescente precarização das condições de atuação da Controladoria-Geral da União (CGU).

Em outubro de 2014 o Jornal Folha de SP, já publicara editorial alertando para riscos que CGU corria.

ASSINE A PETIÇÃO

Em 2003, a CGU foi estruturada como órgão encarregado de assistir direta e imediatamente a Presidência da República, em assuntos que sejam relativos à defesa do patrimônio público, ao incremento da transparência na gestão publica, por meio das atividades de controle interno, auditoria pública, correição, prevenção e combate à corrupção, e ouvidoria. A CGU é ainda órgão central do Sistema de Controle Interno e do Sistema de Correição do Poder Executivo Federal.

Segundo a ANAFIC, desde 2011 a CGU vem sofrendo com sucessivos cortes orçamentários, redução do número de servidores e ausência de lei orgânica própria, fatores que impactam diretamente sua atuação. De 2011 a 2014 a avaliação da execução de programas de governo teve redução de 69,6%, as ações investigativas diminuíram  em 65,5%, o programa de sorteios públicos teve corte de 44,8% e o número de servidores efetivos encolheu 16,3%.

A nota ainda dá conta dos rumores sobre a perda da condição de ministério pela CGU, que passaria a ser uma secretaria, auditando ministérios hierarquicamente superiores. Isto representaria um sério golpe para a sua autonomia.

Conscientes de que a atual conjuntura política e econômica requer, ao contrário disto, o fortalecimento dos mecanismos de controle interno, as organizações, redes e movimentos signatários, que trabalham em favor da transparência, da eficiência na gestão pública, e na prevenção e combate à corrupção e à impunidade, reconhecem que a CGU:

– É a grande responsável pela implementação da LAI e da Lei de Transparência;
– Tornou possível em 2012 a 1ª CONSOCIAL – Conferência Nacional de Participação e Controle Social;
– Promoveu interlocução com a Transparência Internacional para que o Brasil sediasse em 2012, a XV Conferencia Internacional Contra a Corrupção (IACC);
– Vem trabalhando incansavelmente na construção e aperfeiçoamento do Portal de Transparência, que trouxe avanços claramente mensuráveis para a prevenção e combate a corrupção no Brasil.

E assim, manifestam:

– Apoio à autonomia da CGU e reivindicam que o Governo Federal mantenha o status ministerial e tome providências imediatas e efetivas para sanar os problemas que prejudicam sua atuação;
– Que as propostas registradas na CONSOCIAL 2012, especialmente aquelas que versam sobre o incremento e ampliação da atuação da CGU, sejam respeitadas e implementadas;
– Que a CGU receba apoio e recursos para que o Brasil amplie a participação da Sociedade Civil no OGP e seja protagonista nessa atuação no programa nacional e mundial;
– Que a crise econômica não seja usada como desculpa para reduzir o controle da corrupção! Que nos critérios a serem adotados para o corte de gastos do governo, esteja o de preservar os órgãos que aprimorem o funcionamento da máquina pública! Não queremos a redução da capacidade de funcionamento da CGU e nem aumento de despesas, com nenhum outro órgão.

Brasil, 21 de Setembro de 2015.

Solicitamos às organizações, movimentos e redes da sociedade que queiram subscrever esta Nota de Apoio à Controladoria Geral da União que informem através do e-mail amarribo@amarribo.org.br.

1. A Vóz do Cidadão – RJ
2. AAMUR – Muriaé-MG
3. AASPA – São Pedro da Aldeia – RJ
4. ACECCI – Fortaleza – CE
5. AEPPSP – Associação de Especialistas em Políticas Públicas do Estado de SP
6. AMAPIRA – Piracicaba – SP
7. AMARRIBO Brasil
8. AMASA – Analândia – SP
9. Ame a Verdade – Evangélicos contra a Corrupção
10. AMEVIÇOSA– Viçosa– MG
11. AMPREMA – Associação de Moradores de Primavera e Rosana pela Ética e Moralidade Administrativa – SP
12. ASAJAN- Januária – MG
13. AOANA – Amigos da Natureza de Casimiro de Abreu–RJ
14. Artigo 19
15. ASAMUCA – Agita Mulheres de Casimiro de Abreu–RJ
16. ASSUASME – Associação de Usuários e Amigos da Saúde Mental – Casimiro de Abreu–RJ
17. Ativa Búzios – Búzios – RJ
18. Campinas que Queremos – Campinas – SP
19. COLAB – USP– Colaboratório de Desenvolvimento e Participação
20. Comitê Internacional da Escola Prevencionista – SP
21. Conselho Municipal de Saúde – João Pessoa – PB
22. CRECE– Conselho de Representantes de Conselhos de Escolas
23. Grupo Amigos da Barreira – João Pessoa – PB
24. Instituto dos Arquitetos do Brasil na Paraíba – IAB/PB
25. Instituto de Fiscalização e Controle– IFC
26. Instituto Ilhabela Sustentável – SP
27. Instituto Nossa Ilhéus – BA
28. Instituto Soma Brasil – PB
29. MDGV– Movimento de Defesa da Granja Viana – Cotia – SP
30. MOJU – Movimento Cultural de Olho na Justiça
31. Movimento Ibiapabano de Mulheres – MIM – Viçosa – CE
32. Movimento João Pessoa que Queremos – PB
33. Movimento # Mobiliza5deAgosto – PB
34. Movimento Popular Anti Corrupção Por Amor a Londrina– PR
35. Movimento Transparência Tucuruí – PA
36. Movimento Urbanicidade – PB
37. Movimento Voto Consciente – Cotia – SP
38. Movimento Voto Consciente – Guarujá – SP
39. Nossa Betim – MG
40. Nossa BH – MG
41. Nossa Brasília – DF
42. Observatório do Recife – PE
43. Observatório Social de Belém – PA
44. Observatório Social de Lageado – RS
45. Observatório Social de Mandaguari – ADAMA – PR
46. Observatório Social de Rondonópolis – MT
47. Observatório Social do Brasil
48. Oficina da Cidadania – João Pessoa – PB
49. ONG de Olhos em SS– São Sebastião–AL
50. ONG Moral – Cuiabá–MT
51. PNBE–Pensamento Nacional das Bases Empresariais – SP
52. Rede Nossa Belém
53. Rede Nossa São Paulo
54. Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis
55. RETPS – Rede de Transparência e Participação Social
56. Sertão Vivo – Pilão Arcado – BA
57. Transparência Cachoeirense– Cachoeira Dourada–GO
58. Transparência Humaitá – AM
59. Transparência Jeremoabo – BA
60. 3A – Amigos Associados de Andradina – SP
61. Verjus – Ibaté – SP
62. Viva São João – São João da Boa Vista – SP

Confira abaixo íntegra dos ofícios encaminhados aos órgãos competentes.

1. Miguel Rossetto – Ministro Chefe da Secretaria Geral da Presidência da Republica

2. Nelson Barbosa – Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão

3. Joaquim Levy – Ministro da Fazenda

4. Valdir Moysés Simão – Ministro de Estado Chefe da Controladoria-Geral da União

5. Aloizio Mercadante – Ministro-chefe da Casa Civil

Via Amarribo Brasil

Mantenedores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br