Embate entre Câmara e Observatório Social prossegue

Presidente do OS de Ponta Grossa, Ney Ribas, compareceu à sessão do dia 11 na Câmara Municipal e explicou como é feito o acompanhamento da votação dos vereadores nos projetos. Vereadores contestam a metodologia

11 de dezembro de 2013 19:15

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | |

Na tarde desta quarta-feira (11), o presidente do Observatório Social, Ney da Nóbrega, atendeu o convite da Câmara e compareceu à sessão para prestar informações a respeito da lista de faltas dos vereadores, divulgada recentemente no Legislativo. A lista causou insatisfação nos parlamentares, que contestam os números do Observatório.

O presidente do Observatório, no entanto, reiterou que se trata de uma lista de ausências nas votações de projetos, e não de faltas às sessões. Dessa forma, se um vereador deixou de votar alguma proposição, tem a ausência computada. Ney afirmou que a entidade não teve a intenção de atingir nenhum parlamentar, e que apenas enviou um ofício à Mesa Executiva pedindo providências em relação às ausências do vice-presidente, vereador George de Oliveira (PMN). Conforme Ney, a lista foi entregue aos vereadores sem o consentimento do Observatório.

“Não temos a intenção de perseguir ninguém. Se alguém divulgou esses dados não foi o Observatório e sei que também não foi o presidente desta Casa [Aliel Machado]“, justificou Ney, emendando que a cada sessão, o Observatório contabiliza, a cada votação, se o vereador votou ou estava ausente, bem como se votou favorável, contrário ou se absteve.

George se defende

Após o discurso do presidente do Observatório, vários vereadores se manifestaram. O mais incisivo foi George de Oliveira, que foi o objeto do ofício enviado à Câmara pela entidade. Ele afirmou que o presidente do Observatório tentou prejudicar a imagem da Câmara, principalmente, em relação a ele. “Se há boa fé do Observatório, que se registre uma falta por sessão que o vereador não estiver presente, e não uma falta a cada projeto que deixa de votar”, protestou George.

O parlamentar do PMN relatou ainda que todas as faltas que teve foram justificadas, sendo a maior parte delas por motivo de tratamento de saúde.

Küller reclama

O vereador Júlio Küller (PSD) foi outro que reclamou da lista, se dizendo injustiçado por ter faltas atribuídas a ele, as quais contesta. Ele falou ainda que o fato de o presidente Aliel Machado (PCdoB) ter repassado a documentação aos vereadores e à imprensa gerou toda a polêmica. Aliel, por sua vez, ressaltou que tem por obrigação encaminhar aos demais vereadores toda documentação enviada à Mesa.

Novo convite

Os parlamentares querem que Ney da Nóbrega volte à Câmara na próxima segunda-feira para retomar a discussão do assunto, uma vez que nesta quarta-feira vários funcionários do Hospital da Criança e do Pronto Socorro Municipal estiveram na Câmara acompanhando a votação do projeto para o reajuste de 25% da categoria. Dessa forma, para não estender a discussão, foi feito um novo convite.

Por Eduardo Farias
Via Blog Doc.com

Mantenedores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br