TRANSPARÊNCIA – AMÉRICA LATINA E CARIBE

Seminário Internacional destaca o Sistema OSB

*atualização: 04/09

SISTEMA OSB – AMÉRICA LATINA

OLACEFS realiza Seminário Internacional de Participação Cidadã e Fiscalização e Observatório Social do Brasil é elogiado como iniciativa modelo

Experiências de Auditorias Conjuntas entre Entidades Fiscalizadoras de Superiores e Cidadãos, este foi o painel em que o Observatório Social do Brasil pôde apresentar seu modelo de projeto cidadão, que fomenta o controle social, aos participantes do Seminário de toda a América Latina.

Bruno Sampaio, jovem liderança, Consultor para Produtos e Metodologia do Observatório Social do Brasil Limeira/SP e voluntário do Sistema OSB, foi o representante da organização que em 2020 completa 12 anos e que registra mais de 4 bilhões de Reais em economia aos cofres públicos municipais. O Sistema OSB atua hoje em 17 estados, 150 cidades brasileiras e um corpo de 3000 voluntários atuantes no compromisso de colaborar na efetiva melhora da aplicação dos recursos públicos.

Destacado por Bruno Sampaio, “acredito que no Brasil a gente está engatinhando na participação do cidadão em atos públicos e em atos políticos, esse modelo de agenda deve sim avançar, compilando boas práticas desenvolvidas em todos os países, seja em âmbito estadual seja em âmbito federal, para que sejam compartilhadas dentro de fóruns internacionais, onde entidades de fiscalização superiores e também da sociedade civil organizada possam ter esse conhecimento e por meio de metodologia e alianças estratégicas possam achar soluções para problemas nas cidades. Isso tudo é importante para todo o Brasil e América Latina. Mesmo que haja legislações diferentes, a participação cidadã é indispensável… me sinto honrado em poder vestir a camisa do Brasil, vestir a camisa da família Observatório Social para um público latino-americano. Acredito que temos que persistir nessa causa (O Controle Social) sendo ela uma missão muito importante para nosso país… ”, assim concluiu, em sua visão, o consultor.

 

Com a participação de Órgãos de Controle de toda a América Latina e Caribe, o painel desta tarde (03/09/2020) contou com as presenças de Carminã Barboza Diaz (Controladoria Geral da Colômbia) e Ileana González (Controladoria Geral do Governo da Costa Rica), além da moderação de Nanci García Vázquez (Departamento de Políticas Públicas da Universidade de Guadalajara/México).

 

“A existência do OSB (Observatório Social do Brasil) no Brasil é fundamental como aliada das EFS (Entidades Fiscalizadoras Superiores) para ter presença em todo o território e evitar a interação de uma EFS apenas com OSCs na capital do país”, destacou Marcos Mendiburu, um dos organizadores do seminário.

 ASSISTA AQUI: https://www.youtube.com/watch?v=uNk_yJvhkOw

OSB participa de Seminário Internacional - 02/09

SISTEMA OSB – AMÉRICA LATINA

OSB participa do Seminário Internacional de Participação Cidadã e Fiscalização - ONLINE

Acontece de 02 a 04 de setembro o Seminário Internacional de Participação Cidadã e Fiscalização, realizado pela Organização Latino-Americana e Caribenha de Instituições Superiores de Auditoria (OLACEFS), o objetivo é levar ao público a oportunidade do conhecimento, agenda e o debate sobre a participação cidadã na coisa pública, assim como, ampliar a validação de direitos através da melhor aplicação e decisão sobre os recursos públicos.

O Observatório Social do Brasil participa no dia 03, a partir das 15h (horário de Brasília) do painel EXPERIENCIAS DE AUDITORÍAS CONJUNTAS ENTRE EFS Y CIUDADANÍA. Representando o Sistema OSB estará presente Bruno Sampaio, Consultor para Produtos e Metodologia do Observatório Social do Brasil Limeira/SP e voluntário do Sistema OSB, que falará sobre a exitosa experiência de trabalho conjunto dos observadores com auditores do Tribunal de Contas da União em dois projetos em 2018.

Acesse https://fiscalizacion2020.mx/ e fique informado de todo o conteúdo do evento. Você poderá assistir a transmissão ao vivo, além do site, nas redes sociais @ControlaTuGobierno.

O SEMINÁRIO

Desde 2009, a participação do cidadão é reconhecida como um direito na Carta Ibero-Americana para a Participação do Cidadão na Gestão Pública. Estabelece a necessidade de os países criarem mecanismos alternativos aos da democracia eleitoral que permitam a materialização deste direito.

A participação do cidadão é uma peça fundamental de responsabilidade. O cidadão é quem dá sentido ao processo de informar, justificar e exigir resultados dos governos. Os processos de participação cidadã potencializam o uso da informação, fortalecem a legitimidade com que as decisões são tomadas e ampliam o exercício dos direitos fundamentais.

A auditoria faz parte do ciclo de prestação de contas. Trata-se da geração de registros confiáveis, tempestivos e comparáveis da utilização dos recursos públicos, bem como da existência de mecanismos que permitam o monitoramento do cumprimento dos fins públicos a que se destina. Esta vigilância ou controle externo é uma tarefa complexa e altamente técnica, que requer uma importante canalização de recursos, cujo resultado nem sempre é acessível aos cidadãos.

Por esse motivo, instituições internacionais e regionais – como a Organização Internacional das Instituições Superiores de Auditoria (INTOSAI por sua sigla em inglês) ou a Organização Latino-Americana e Caribenha de Instituições Superiores de Auditoria (OLACEFS) – têm apontado a importância de promover a participação do cidadão para melhorar a amplitude e profundidade das auditorias e aumentar a confiança do público nas instituições. Tendo em vista que as instituições superiores de auditoria (SAIs), sejam estas Controlarias Gerais ou Auditorias, só podem auditar uma amostra dos recursos públicos exercidos, a inclusão do público permite um controle concomitante, proporcionando um conhecimento mais qualitativo sobre a forma como se encontram está exercitando e implementando gastos.

Em 2011, por exemplo, a INTOSAI fez uma recomendação do XXI Simpósio das Nações Unidas / INTOSAI sobre a importância de desenvolver “práticas cooperativas eficazes” entre os cidadãos e as SAIs para fortalecer a responsabilidade do governo. Em consonância com a INTOSAI e com a Declaração de Santiago de 2013, [1] OLACEFS emitida em outubro de 2016, a Declaração de Punta Cana, que define a participação do cidadão no controle fiscal como:

“A ação promovida pelas EFS através dos diversos mecanismos disponíveis para que os cidadãos, diretamente ou através das suas organizações, estejam efetivamente ligados à melhoria da gestão pública e à qualidade da gestão institucional”        

Nesta Declaração, as SAIs filiadas à OLACEFS comprometeram-se a promover a participação real, efetiva e progressiva dos cidadãos nas tarefas de auditoria, reconhecendo a sua importância.

Por isso, nos últimos anos e cada vez mais, as EFS da América Latina e do mundo têm desenhado e implementado mecanismos para envolver os cidadãos em suas tarefas, que variam em profundidade e abrangência. Na América Latina, por exemplo, a Iniciativa de Transparência, Participação e Responsabilidade (Iniciativa TPA) identificou três tipos de mecanismos de participação do cidadão. O primeiro está relacionado à criação de canais de comunicação com os cidadãos – como caixas de correio, linhas telefônicas, postos de atendimento, plataformas online – para coleta de reclamações e opiniões dos cidadãos. A segunda refere-se à abertura de espaços formais de consulta ao público sobre as questões ou programas que devem ser auditados. Por fim, o terceiro consiste na criação de mecanismos que permitam aos cidadãos participar direta ou conjuntamente com as SAIs nas tarefas de auditoria.

Fonte: https://fiscalizacion2020.mx/acerca-de/

O OBSERVATÓRIO SOCIAL DO BRASIL

Presente em 150 cidades de 17 Estados brasileiros, o Observatório Social do Brasil é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, que promove capacitação e suporte técnico para os observatórios municipais, formados por voluntários engajados na causa da justiça social. A entidade atua em favor da transparência e da qualidade na aplicação dos recursos públicos, fazendo uso de uma metodologia de monitoramento das compras públicas em nível municipal, desde a publicação do edital de licitação até o acompanhamento da entrega do produto ou serviço, de modo a agir preventivamente no controle social dos gastos públicos.

Quer saber mais sobre o sistema OSB solicite seu cadastro em nossa newsletter em comunicacao@osbrasil.org.br. Visite nosso site em www.osbrasil.org.br lá você irá encontrar conteúdos diários sobre o fomento ao controle social, ou busque nas redes sociais por @osdobrasil.

Da redação OSB:

Twitter: #YoCuento #OSBParticipa #transformandopelaintegridade #OSBLimeiraemfoco

Assista em: https://fiscalizacion2020.mx/

Redes Sociais: @ControlaTuGobierno

@Osdobrasil @osblimeira

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br