Rio de Janeiro passa a contar com Observatório Social

Apoiada pela Domingues e Pinho Contadores, organização ajuda no combate à corrupção e em melhorias na gestão pública na capital fluminense

Publicado para | Cidadania Fiscal | Controle Social | Destaque | Fiscalização | Gestão Pública | Participação popular | Participação social | Transparência | Utilidade Pública em 06 de setembro de 2017 15:23

A Operação Lava Jato, da Polícia Federal, tem revelado há três anos e meio muitos casos de desvios de dinheiro e altos gastos públicos, que têm causado indignação em grande parte da população do País.

Com o objetivo de auxiliar no combate à corrupção e em melhorias na gestão pública, o Observatório Social do Brasil (OSB) chega à capital fluminense com o apoio da Domingues e Pinho Contadores (DPC) e da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio). “Acreditamos que este poderá ser um diferencial para aumentar a transparência da Prefeitura do Rio de Janeiro em suas ações, especialmente no que se refere à gestão de compras de materiais e serviços”, analisa o Diretor Presidente da DPC, Manuel Domingues e Pinho.

A atuação do OSB no Rio de Janeiro será diretamente na fiscalização do poder público municipal, com monitoramento sistemático e preventivo dos processos de planejamento, contratação, execução e avaliação das políticas públicas para, assim, agir preventivamente no controle social dos gastos públicos. “A implantação se faz essencial uma vez que nossa Prefeitura precisa ampliar e melhorar os serviços públicos, além de direcionar as compras de bens e serviços para apoiar as empresas aqui estabelecidas”, explica a Conselheira Benemérita da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Marta Arakaki.

Além disso, outras ações regulares do Observatório Social estarão presentes no Rio de Janeiro, como a educação fiscal com a capacitação para o controle social, o preparo do gestor público para cultura da transparência, a qualificação do micro e pequeno empresário para a participação na contratação pública e o cadastro gratuito dele para divulgação de abertura de licitações.

Seguindo a metodologia habitual da rede, a organização tem realizado todos os procedimentos necessários para integrar oficialmente ao Observatório Social do Brasil, inclusive, na comprovação de que sua atuação não é uma prática político-partidária.

Atuação do Observatório Social em todo o Brasil

Presente em mais de 100 cidades de 19 estados brasileiros, o Observatório Social é considerado um espaço democrático e apartidário, composto por entidades representativas da sociedade civil e também por milhares de voluntários de diversos setores, que acompanham licitações e pregões de compras de órgãos públicos municipais e que se mobilizam para receber – juntamente com funcionários públicos – os produtos e serviços comprados pela prefeitura.

Segundo o Observatório, estima-se que essa contribuição gerou uma economia de mais de R$ 1,5 bilhão para os cofres dos municípios onde atua nos últimos quatro anos. “Nossa missão é gerar maior consciência em cada brasileiro, mostrando que para ter retorno do dinheiro pago em tributos, é necessário que aprenda a monitorar as contas públicas de sua própria cidade”, explica o presidente da rede Observatório Social do Brasil, Ney da Nóbrega Ribas. Confira mais detalhes na matéria de capa, na página 16, da revista Gestão Empresarial nº 34.

Via GBrasil

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | |

Mantenedores

Patrocinadores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. A Rede OSB é formada por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.