Presidente do OSB, Ney Ribas, apresenta atuação dos observatórios

Conversa foi realizada na última segunda-feira (10) e teve transmissão ao vivo pela Fan Page no Facebook do OSB

Publicado para | Controle Social | Destaque | Evento | Monitoramento | Participação popular | Participação social | Produção OSB | Utilidade Pública em 11 de julho de 2017 15:15

Na última segunda-feira (10) o presidente, Ney Ribas e a diretora executiva, Roni Enara, do OSB, realizaram uma apresentação a representantes da sociedade civil, interessados no trabalho dos observatórios sociais, com perspectivas de integrar o corpo de voluntários do Observatório Social de Curitiba – PR.

Evento foi realizado no auditório do edifício da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), que sedia o OSB e o Observatório Social de Curitiba, e serviu para apresentar o funcionamento dos observatórios sociais, a atribuição do OSB enquanto articulador da rede de observatórios e um breve histórico da atuação do observatório em Curitiba.

O Observatório Social de Curitiba foi constituído em 2012, mas esteve desativado nos últimos anos. Recentemente (final de 2016) houve um resgate da iniciativa para reativação da entidade. No primeiro quadrimestre de 2017 foi possível estruturar a nova sede, iniciar a contratação da equipe técnica e colocar em prática algumas ações prioritárias. Também foram estimuladas novas parcerias e captação de recursos, bem como a elaboração do Planejamento Estratégico.

Com suporte de uma nova diretoria, também presidida por Ney Ribas,  o estagiário administrativo, Bruno Muno, e a assistente social, Viviane da Silva, estão realizando ações de  integração e treinamento da equipe, implantando e migrando sistemas, alimentando website, captando voluntários e planejando ações por grupos de interesse, além de realizarem estudos sobre a  lei n° 12.527/2011, Lei de Acesso a Informação (LAI) e pesquisas, entre outras proposições.

Roni Enara apresentou os programas de trabalho desenvolvidos pelos observatórios sociais e indicadores da gestão pública, comparando dados de Curitiba com outras capitais do Brasil.

Ney Ribas destacou alguns exemplos da atuação dos observatórios sociais e falou sobre a importância da atividade voluntária no observatório da capital paranaense. “Vamos lançar um questionário para identificar qual a área de interesse em que cada um se dispõe a contribuir. Com base nisso iremos unir as pessoas para compor grupos para atividades específicas”, explicou.

Transmissão on-line

Pela primeira vez, o OSB realizou a transmissão do evento ao vivo pela sua Fan Page no Facebook e, mesmo sem a divulgação prévia, conseguiu uma boa audiência. Foram mais de 1400 visualizações e alcance de quase 10 mil usuários da rede social. Segundo o gerente de comunicação, Anderson Nicoforenko, responsável pelo núcleo de comunicação do OSB, o evento foi um teste para uma nova ideia que está sendo trabalhada com a equipe do OSB. “Estamos amadurecendo um projeto para lançar transmissões ao vivo, periódicas, pelo Facebook, com personalidades e especialistas em áreas relacionadas à área de atuação dos observatórios”, explicou.

O vídeo segue disponível para quem quiser acompanhar a apresentação e até a tarde do dia 11 (terça-feira) teve 14 compartilhamentos, 20 comentários e 66 reações (a maioria durante a transmissão ao vivo).

Novas reuniões estão previstas com intuito de integrar interessados na atuação voluntária pelo Observatório Social do Brasil – Curitiba.

Saiba mais em curitiba.osbrasil.org.br  ou entre em contato pelo e-mail curitiba@osbrasil.org.br ou telefone 41 3307-7052

Por Anderson Nicoforenko – Comunicação OSB

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | | | | | |

Mantenedores

Patrocinadores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. A Rede OSB é formada por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.