OS pede ao novo gestor municipal planejamento nas licitações

O presidente do OST, Cleber Lindino, afirma que a maneira como as licitações são conduzidas atualmente pela gestão preocupa toda a equipe. ‘O gestor deve ter cuidado com o excesso de aditivos. Ele deve encontrar um mecanismo que evite o desperdício de recurso público.’

02 de dezembro de 2012 16:57

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | |

O Observatório Social de Toledo (OST) – a partir de suas ações – fez o diagnóstico de que há pouco planejamento na condução dos processos de licitações na cidade. O OST destaca que um determinado objeto é comum as secretarias, porém ele é licitado em diversos momentos durante o ano. Esta ação onera os cofres públicos, pois em algumas situações o custo do processo pode ser maior que o próprio valor da mercadoria. Também é preciso considerar que se o processo for unificado existe a possibilidade de reduzir o custo do produto a ser adquirido. O presidente do OST, Cleber Lindino, reuniu-se com o prefeito eleito, Beto Lunitti, no dia 20 para apresentar diagnósticos como este e estreitar a comunicação com o novo gestor.

O presidente do OST, Cleber Lindino, afirma que a maneira como as licitações são conduzidas atualmente pela gestão preocupa toda a equipe. “O gestor deve ter cuidado com o excesso de aditivos. Ele deve encontrar um mecanismo que evite o desperdício de recurso público. O uso de aditivo é algo permitido por Lei, mas é preciso ter cuidado”. Beto Lunitti afirma que de acordo com as possibilidades vai atender ao pedido do OST durante o mandato.

Transparência

O OST solicita a transparência da nova gestão e, principalmente o fornecimento de informações. Beto Lunitti afirma que fará um governo transparente. “Hoje, o prefeito é a pessoa mais fiscalizada nos poderes constituídos no Brasil. Tenho a certeza que a gestão pública precisa ser transparente. Naturalmente – enquanto gestor – cumprirei o papel para que o processo de transparência e boa gestão partam sob o aspecto da cidadania”.

Beto Lunitti complementa que cada cidadão cumpre um papel importante na sociedade. “Ele tem o serviço público sempre a altura que necessita, porém ele deve cumprir com os seus compromissos para que o município tenha possibilidade de ter recursos e conduzir a gestão pública de forma eficiente”.

Geração de empregos

Outro fator abordado na reunião foi a geração de emprego e a criação de uma política de desenvolvimento para Toledo. Sobre isso, Beto Lunitti, destaca que este assunto está contemplado em seu plano de governo. “Nós iremos apoiar as empresas que estão instaladas em Toledo e buscaremos uma conexão com as universidades, para que o Parque Tecnológico seja uma realidade em nossa cidade. Também é importante apoiar a agroindústria, o agronegócio, a agricultura, a pecuária e, a partir, do debate com a universidade criar uma nova matriz econômica para a cidade”.

Beto Lunitti enfatiza que a população precisa de um emprego com qualidade e com uma renda maior. “E é isso que iremos perseguir. Por isso, o secretário da Indústria e Comércio terá um papel importante na condução da economia e eu (como prefeito) vou criar um ambiente para que as pessoas possam investir na cidade”.

Para o presidente do OST, Cleber Lindino, é necessário desenvolver mecanismos que possam trazer empresas, fomentar o desenvolvimento da cidade, oferecer capacitações a população e, consequetemente, que todas as pessoas passam a ter um emprego mais digno. “Estes mecanismos vão trazer – em um determinado momento – retorno até financeiro em termos de arrecadação para o município”.

Diálogo

De uma maneira geral, o presidente do OST, Cleber Lindino, avalia o encontro como positivo e espera que o diálogo e o trabalho da entidade anterior ao início do mandato possa ter aberto portas a nova administração pública. “Para que possamos conversar, propor soluções e apontar problemas”. Lindino lembra que antes o grupo fez um primeiro contato com o candidato eleito a prefeito para apresentar as atividades desenvolvidas pelo OST e, pautar algumas questões que devem ser melhor observadas pelo gestor, como licitações, planejamento interno, geração de emprego, entre outros.

Via Casa de Notícias

Mantenedores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br