Observatório Social é tema de palestra na URCAMP

A Conselheira do Observatório Social no Brasil, Belonice Fátima Satoriva, explicou passo a passo sobre o funcionamento e implantação do Observatório Social

Publicado para | Controle Social | Destaque | Evento | Gestão Pública | Participação popular | Participação social | Transparência | Utilidade Pública em 05 de julho de 2018 11:51

Pelo menos 130 cidades do Brasil já possuem Observatórios Sociais. São núcleos integrados por pessoas da sociedade civil, encarregados de fiscalizar licitações, de prevenir irregularidades e o mau uso dos recursos públicos dos municípios e Câmaras de Vereadores.

A palestra no Teatrinho da Universidade da Região da Campanha (Urcamp), no Rio grande do Sul, trouxe a Conselheira do Observatório Social no Brasil, Belonice Fátima Satoriva, que explicou passo a passo sobre o funcionamento e implantação do Observatório Social.

No auditório, compareceu um público formado principalmente por acadêmicos dos cursos de Administração e Ciências Contábeis, empresários, representantes de associações e entidades importantes da cidade, como a ACIBA, por exemplo.

Depois da fala de boas vinda da Pró-reitora Acadêmica da Urcamp, Virgínia Dreux, a palestrante iniciou falando em resgate da cidadania, em todas as esferas, a começar pela escola. Belonice Satoriva destacou que o trabalho é voluntário e enumerou alguns dos que considera os principais braços do Observatório Social e suas formas de atuação:

Gestão pública – destinado a licitações, cargos em comissão, convênios, obras, processos, estoques e Câmaras Municipais de Vereadores;

Educação Fiscal – cuida de palestras, concursos, promove semanas da cidadania, feirões de impostos, teatros, parcerias e trabalhos institucionais;

Ambiente de Negócios – faz a capacitação das micro e pequenas empresas para que participem das licitações, divulgação das licitações e cadastros gratuitos para empresas;

Transparência – fiscaliza portais de transparência, cuida da capacitação dos conselhos, indicadores de gestão pública e relatórios quadrimetais.

Além de ser apartidário, o Observatório Social reúne pessoas que representam a sociedade e organizações não governamentais. A sede nacional funciona em Curitiba e promove a capacitação e suporte técnico para a rede de observatórios em 19 estados brasileiros. “Cada cidade está se organizando e temos uma metodologia de orientação. Não fizemos denuncismo, é investigação técnica, acompanhamento da licitação não é ser contra a nenhum prefeito, busca sim contribuir para a eficiência na aplicação de recursos da prefeitura e das câmaras municipais”, pontua a palestrante.

A palestra sobre o Observatório Social foi promovida pelo Observatório Social do Brasil, em conjunto com o Conselho Regional de Contabilidade e Urcamp.

Com informações da Urcamp

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | | | | | | | |

Mantenedores

Patrocinadores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.