Ministério da Transparência e CGU promovem evento alusivo ao Dia Internacional contra a Corrupção

Evento, ocorrido no dia 12 de dezembro, em Brasília, também apresentou o Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção.

13 de dezembro de 2018 18:15

Veja outras publicações das mesmas tags: | | |

O combate à corrupção deve passar pela mudança de cultura junto a crianças e jovens, por meio de iniciativas que contribuam para a formação de uma nova geração comprometida com a ética e a integridade. Essa foi a tônica dos discursos feitos por representantes de órgãos de controle e de entidades da sociedade civil reunidos nesta quarta-feira (12 de dezembro) de manhã, em Brasília (DF), no evento alusivo ao Dia Internacional contra a Corrupção, promovido pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU).

A solenidade de abertura, no auditório da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), contou com as presenças dos ministros Wagner Rosário(Transparência e CGU); Rossieli Soares (Educação); Torquato Jardim (Justiça);além da Diretora e Representante da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto; do presidente da CNA, João Martins; diretor-geral da Organização de Estados Ibero americanos (OEI), Raphael Callou; e do presidente do Instituto Ethos, Caio Magri. O Observatório Social do Brasil foi convidado a prestigiar o evento e foi representado pelo seu Presidente Voluntário, Ney Ribas, pela Diretora Executiva, Roni Enara, e pela integrante do conselho superior do OSB, Tatiana Bastos.

A representante da Unesco no Brasil, Marlova Noleto, sustentou que “o Brasil, lamentavelmente, é um país onde existe uma cultura de corrupção muito enraizada. Está em pequenos hábitos e gestos do dia a dia e portanto, o papel da educação é fundamental para mudar esse quadro”. Noleto considerou muito importantes iniciativas como o Concurso de Desenho e Redação, promovido pela CGU. Segundo ela, começa na escola o desafio da mudança do país: “precisamos não permitir que as crianças convivam com pequenos atos de corrupção como se fossem normais e que o país banalize isso, de forma que, quando grandes atos de corrupção ocorram, exista uma espécie de conivência tácita com esses malfeitos”.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, enfatizou que “não existe a possibilidade de combater a corrupção somente nas esferas midiáticas. Nós precisamos combater a corrupção cultural, precisamos combater a corrupção junto com as nossas crianças, pois é com elas que nós temos maior adesão”.

“Hoje celebramos a união entre educação e controle. O futuro do Brasil está baseadonas crianças e jovens. E contribuir para a educação cidadã é um componente essencial para que a gente possa esperar do futuro algo muito melhor”, afirmou o diretor-geral da Organização de Estados Ibero americanos (OEI), Raphael Callou. Segundo Callou, a OEI preza sempre pelo desenvolvimento da educação, da ciência e da cultura como instrumentos para auxiliar a promoção da democracia na região. “A democracia não existe sem uma prática cidadã em plenitude. Da mesma maneira, a cidadania só pode ser plenamente constituída à medida que se oferece mecanismos concretos de controle social”, ressaltou.

Durante a cerimônia, também foi apresentado o  Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção (CTPCC) do Ministério da Transparência e CGU, o qual o OSB foi selecionado para integrar, junto com outras entidades da sociedade civil, dentro da Categoria II: Projetos de avaliação de políticas públicas, combate à corrupção e fiscalização dos recursos públicos. Tatiana Bastos será a representante do OSB no colegiado. No período da tarde, ocorreu a primeira reunião do CTPCC 2019.

Ao encerrar a abertura do evento, o ministro da Transparência e CGU, Wagner Rosário, fez uma apresentação dos principais resultados alcançados pela CGU em 2018 e afirmou que se trata de “uma prestação de contas à sociedade, para que ela saiba quais ações estão sendo realizadas a fim de evitar e punir casos de corrupção e má gestão”. O ministro ressaltou que “estamos aprimorando os mecanismos de integridade juntos aos órgãos do Governo Federal para que problemas não voltem a acontecer. A gente vai aprendendo com os casos de corrupção, criando mecanismos preventivos para combatê-los. Então, todo esse conjunto de informações serve de auxílio para uma melhor gestão pública”,defendeu.

Via Ascom/CGU.

Mantenedores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br