Campanha anti-corrupção do MPF é realizada com mais 20 países

A campanha #CORRUPÇÃONÃO tem foco na internet e visa ampliar o debate sobre o combate à corrupção

26 de junho de 2015 19:45

Veja outras publicações das mesmas tags: | | | | | | | | | | |

O MPF (Ministério Público Federal) esta desenvolvendo uma campanha, por meio da internet, de combate à corrupção. Fruto da parceria entre 21 países por meio da Aiamp (Associação Ibero-Americana de Ministérios), a ação visa ampliar o debate sobre o combate à corrupção e conscientizar a população sobre o papel do órgão no combate a este tipo de prática.

A campanha #CORRUPÇÃONÃO tem foco na internet, sobretudo nas mídias sociais, como Facebook e Twitter, com objetivo de atingir jovens entre 16 e 33 anos. Nos países de língua espanhola, a tag é #CORRUPCIÓNNO. Os jovens foram escolhidos como público-alvo devido ao seu potencial mobilizador nas redes sociais.

“Chegou a hora de mostrar que não concordamos com nenhum tipo de corrupção. Não importa o tamanho, o autor ou a situação. O papel de quem — como nós — deseja um mundo mais justo é dizer ‘NÃO’ a qualquer ato corrupto. Seja furar uma fila, subornar um guarda ou desviar dinheiro público”, diz o site da campanha.

“Nosso objetivo é atrair o público para, junto ao MPF, dizer ‘não’ à corrupção”, reforçou a procuradora da República Anna Carolina Resende, do CCI (Centro de Comunicação Integrada).

O lançamento ocorreu durante o seminário que celebra dez anos de atuação do MPF na cooperação internacional.  A campanha de combate à corrupção foi um compromisso de do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, durante sua gestão como presidente da associação. Durante reunião da entidade, por unanimidade, o tema foi escolhido, considerada a mais adequada em função da visibilidade e clareza da mensagem. Segundo Janot, pesquisas recentes da Transparência Internacional apontam que os jovens são os mais incomodados com a corrupção. “Eles também são os mais dispostos a encarar as mudanças culturais necessárias ao enfrentamento da corrupção”, explicou. O Procurador-geral ressaltou, ainda, que esta é uma oportunidade para reforçar o papel do Ministério Público brasileiro no combate à corrupção nas esferas cível, criminal e, ainda, na recuperação de ativos.

O Ministério Público Militar também está na campanha. Em apoio a fachada da Procuradoria-Geral de Justiça Militar, em Brasília, ostenta a identidade visual da proposta.

Para o procurador-geral de Justiça Militar, Marcelo Weitzel, a campanha #CORRUPÇÃONÃO não está limitada ao combate à corrupção no país, função precípua do Ministério Público, ela pretende formar cidadãos e promover mudanças culturais com o objetivo de tornar a corrupção algo inaceitável, por menor que seja.

Além da atribuição legal para atuar criminalmente nos casos de corrupção nas Forças Armadas, o Ministério Público Militar desenvolve ações preventivas nesse sentido.

Para mais informações, acesse o hotsite da campanha: http://corrupcaonao.mpf.mp.br.

Com informações R7, MPM, e EBC

Mantenedores

ObservatórioSocial do Brasil

O OSB é uma instituição não governamental, sem fins lucrativos, disseminadora de uma metodologia padronizada para a criação e atuação de uma rede de organizações democráticas e apartidárias do terceiro setor. O Sistema OSB é formado por voluntários engajados na causa da justiça social e contribui para a melhoria da gestão pública.

Rua Heitor Stockler de França, 356, sala 101 | Centro Cívico | Curitiba – PR
CEP: 80.030-030
Telefone: 41 3307-7058
E-mail: contato@osbrasil.org.br